Dia Mundial da Prematuridade: como o pré-natal ajuda a identificar fatores de risco da gestação

Vérnix caseoso
Vérnix Caseoso: o que é?
15 de novembro de 2019
Melasma na Gestação
Melasma na gestação: prevenção e tratamento
20 de novembro de 2019

Parto prematuro é aquele que ocorre entre 20 e 37 semanas de idade gestacional. No Brasil, 11,5% do total de nascimentos são prematuros, segundo a Pesquisa Nascer (Fiocruz/2016). A incidência da prematuridade fica acima da média mundial de 10%, podendo chegar até a 20% em algumas localidades do mundo. Quanto mais prematuro for o recém-nascido, maiores são as morbidades e as complicações (neurológicas, respiratórias, visuais, gastrointestinais, imunológicas e cognitivas), que podem, inclusive, ter repercussão ao longo de toda sua vida.

Para dar visibilidade à causa, o 17 de novembro foi instituído como o Dia Mundial da Prematuridade. Caminhadas em todo o país são realizadas para marcar este mês, chamado de “Novembro Roxo”.

Certos fatores de risco para prematuridade são identificados ao longo do pré-natal, como explica o médico obstetra Edson Cunha, sócio-fundador da Nasce. Entre eles, destacam-se a história pessoal da paciente de parto prematuro em uma gestação anterior, cirurgias ou manipulação prévias no colo do útero, malformações uterinas, gemelaridade, doenças pregressas da paciente ou que surjam ao longo da gestação atual, infecções e encurtamento progressivo do colo uterino identificado pela ultrassonografia.

Cabe ao médico obstetra assistente a sensibilidade e suspeição clínica para sua visualização correta e intervenção eficaz na tentativa de evitar a prematuridade.

Com base na literatura médica atual, algumas intervenções específicas podem ser utilizadas como medidas preventivas para redução da prematuridade, quando alguns dos fatores acima descritos são identificados.

Dr. Edson destaca: mudança no estilo de vida (como cessação no uso de substâncias como tabaco, por exemplo), rastreamento e tratamento de infecções (como a infecção urinária), evitar nova gestação com, no mínimo, um intervalo de seis meses, suplementação de progesterona para pacientes com história prévia de parto pretermo ou colo curto em gestação atual e cerclagem uterina para determinadas condições médicas específicas.

“Estas são as medidas que uma assistência pré-natal adequada deve oferecer para ajudar a combater esta condição de altíssima morbidade e mortalidade que é a prematuridade”, explica.

Nasce Criança
Nasce Criança
Nosso propósito é promover o planejamento saudável do desenvolvimento da criança, envolvendo todos os aspectos de saúde, com atendimento pediátrico, nutricional, odontológico e todas as especialidades necessárias nos primeiros anos de vida do bebê.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *