Foto: @cegonhaimagens
Desmistificando a episiotomia
5 de maio de 2020
fisioterapia respiratória
Fisioterapia respiratória infantil: indicações e técnicas para bebês e crianças
25 de maio de 2020
Sistema imunológico e coronavírus: qual a relação

Sistema imunológico e coronavírus: qual a relação

Muito se tem falado em sistema imunológico durante a pandemia do COVID-19 (SARS-COV-2), vírus da classe dos coronavírus, uma das muitas que causam sintomas de gripe. Tem um quadro semelhante aos outros vírus respiratórios, causando coriza, tosse, cefaleia, dor no corpo, um conjunto de sintomas que chamamos de síndrome gripal. A grande maioria dos pacientes que são contaminados pelo coronavírus tem apenas esses sintomas ou podem até ser assintomáticos.

Entretanto, 5% dos pacientes podem evoluir para um quadro grave que chamamos de Síndrome Respiratória Grave (SARS) e necessitar de cuidados intensivos (UTI). Nos dados mundiais, percebemos que a grande maioria dos pacientes que não tem uma boa evolução são pacientes idosos e com comorbidades como diabetes, hipertensão ou obesidade, entre outras.

A chance de contaminação (chance de se infectar) pelo coronavírus é igual para todos, inclusive para pacientes com defeitos na imunidade. O que muda é a resposta que nosso sistema imunológico vai fazer para nos defender do vírus. Pacientes com defeitos na imunidade terão uma infecção mais grave e uma maior dificuldade de se defender do vírus e por isso são considerados grupo de risco.

Mas o que as outras comorbidades (diabetes, obesidade e hipertensão) têm a ver com a pior resposta do nosso organismo ao Covid-19? Essas são doenças relacionadas principalmente com estilo de vida atual e com a alimentação. A alergista e imunologista Helena Fleck Velasco, da Nasce Criança, traz outras informações.

“Nos últimos anos a nossa microbiota (comunidade microbiana de bactérias, fungos e protozoários…) tem sido muito estudada e há evidencias de que uma microbiota saudável é importante para respostas adequadas do sistema imune”, explica a profissional.

Não há evidências científicas de que reposição de altas doses de vitaminas, imunoshots ou vários outros procedimentos que têm sido anunciados nos últimos tempos nos protejam de uma má evolução pela infecção pelo coronavírus.

O que sabemos é que um estilo de vida saudável pode ajudar muito nosso sistema imunológico. Uma alimentação diversificada rica em frutas, verduras e alimentos frescos, fazer exercícios regularmente, uma boa noite de sono e cuidar da saúde mental é nossa maior arma contra o COVID-19.

“Precisamos ressaltar que um dos grandes inimigos do nosso sistema imunológico é o estresse, seja mental ou físico. Por isso, nada de querer virar atleta ou fazer dietas restritivas nesse período. Precisamos encontrar um equilíbrio, comer um pouquinho melhor a cada dia, cuidar e respeitar nosso cansaço e hora do sono e incluir aos poucos atividades físicas no nosso dia a dia. Escutar nosso corpo e as necessidades dele”, conclui Helena.

Leia também aqui na Nasce:
# A importância da alimentação para fortalecer seu sistema imunológico

Nasce Criança
Nasce Criança
Nosso propósito é promover o planejamento saudável do desenvolvimento da criança, envolvendo todos os aspectos de saúde, com atendimento pediátrico, nutricional, odontológico e todas as especialidades necessárias nos primeiros anos de vida do bebê.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *