Amamentar em um só seio: principais dúvidas

Nutrição da lactante: o que saber sobre alimentação quando você está amamentando
17 de agosto de 2020
Imunidade: como anda a sua? O que você precisa saber sobre sistema imunológico
29 de agosto de 2020

Foto: @CegonhaImagens

Esta é uma dúvida comum de muitas mães em fase de aleitamento. É possível amamentar em um só peito? E se o bebê só quiser mamar em um? O que acontece nestas e em outra situações? O que leva a amamentar com um único seio? A Daniela Marchiori Flores, do @amamentaportoalegre, explica o que você precisa saber sobre o tema.

O BEBÊ SÓ MAMA EM UM SEIO

Quando o bebê nasce é muito comum que ele tenha um seio “preferido”. Isso se deve normalmente ao fato da mãe ter mais facilidade em posicionar o bebê em um dos lados, e com isso, tanto o bebê quanto a mãe ficam mais confortáveis quando a mamada ocorre nesse determinado lado. Com o passar dos dias (e se necessário é importante pedir ajuda especializada para melhorar a posição) essa dificuldade inicial acaba. Por isso, nesses casos, não vale a pena se incentivar a amamentação em um único seio, e sim incentivar a melhoria da posição no outro lado.

OUTRAS DIFICULDADES DE MÃE E BEBÊ NA AMAMENTAÇÃO

Certas condições médicas do bebê (como nariz mais obstruído, otites, faringites…) ou da mãe (mastites) também podem causar dificuldade para o bebê mamar bem no outro seio. Por serem complicações momentâneas, não é preciso “desistir” de um dos seios por estes motivos, e sim olhar para a causa.

UMA MAMA TEM MAIS LEITE DO QUE A OUTRA?

Se ao longo do tempo da amamentação acontecer de uma das mamas produzir mais leite do que a outra, vale observar se a mais “produtora” não está sendo também justamente a mais estimulada. Por colocarmos o bebê a mamar mais nesse seio em primeiro, por exemplo (e se foi este o caso), é indicado iniciar um revezamento mais efetivo. Este pequeno ajuste, por si só , já pode aumentar e regularizar as duas mamas.

DIFICULDADE DE PRODUÇÃO EM UM DOS SEIOS

Sim, em alguns casos a mãe realmente produz muito mais leite em um comparado ao outro. Essa diferença pode acontecer por condições que comprometem a anatomia da mama e/ou mecanismos hormonais que regulam a produção de leite. Entre esses podem ser citadas as cirurgias estéticas ou não nas mamas (o que pode ter causado mais lesão em um seio que no outro), ou ainda anormalidades congênitas como diferença na quantidade de glândula mamaria de um seio para o outro.

É POSSÍVEL, ENTÃO, MANTER A AMAMENTAÇÃO EM UM SÓ PEITO?

Sim! “A tendência, em principio – desde que a mãe esteja bem alimentada, bem hidratada e bem descansada – é o corpo produzir todo o leite necessário para alimentar seu bebê somente com um seio. Nestes casos, as mães não devem ser julgadas, e sim estimuladas a usar essa mama para amamentar plenamente seu bebê”, explica Daniela.

FORMAS DE ESTIMULAR AMAMENTAÇÃO NOS DOIS SEIOS

  1. Tentar oferecer esse seio nos momentos em que o bebê esteja mais sonolento, e iniciar a mamada por ele nesses momentos.
  2. Oferecer sempre o seio “rejeitado” por primeiro, como o bebê está com mais fome, a tendência é que mame pelo menos um pouco nele.
  3. Estimular o aumento da produção nesse seio com o uso de máquina de extração de leite.
  4. Tentar outras posições de amamentação para esse seio.

Estas tentativas podem acontecer dentro das possibilidades e vontades de cada mãe: respeitar o limite é muito importante! “É muito melhor ter uma mãe que amamenta bem o seu bebê com um só seio do que uma mãe cansada e frustrada buscando ‘melhorar’ a produção do outro seio”, conclui Dani.

Vídeos que você pode gostar sobre o tema AMAMENTAÇÃO:
@@ Amamentação: mitos e verdades
@@ O comportamento de mamada do bebê mudou?
@@ Como escolher a poltrona e a almofada de amamentação
@@ Amamentação em livre demanda ou seguir a rotina?

Leia também aqui no site do Nasce:
@@ Nutrição da lactante: alimentação da mãe para o período da amamentação
@@ Benefícios da amamentação a médio e a longo prazo
@@ Dicas para extração do leite materno com máquinas

Nasce Saúde
Nasce Saúde
Somos um NÚCLEO DE PLANEJAMENTO DE SAÚDE formado por uma conexão entre profissionais da saúde referências em suas áreas de atuação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *