Amamentação: dicas de extração do leite materno

Efeito vulcânico = sono acumulado do bebê
30 de julho de 2020
Benefícios da amamentação a médio e longo prazo: pesquisas
5 de agosto de 2020

Nem todas as recém-mães conseguem ficar seis meses em casa exclusivamente cuidando de seus bebês em licença-maternidade. Mas não é preciso se angustiar em relação ao aleitamento materno caso você precise voltar ao trabalho antes do período de meio ano terminar.

Para mães que querem continuar com aleitamento materno exclusivo, existem hoje no mercado máquinas elétricas para extração de leite materno. A consultora de amamentação Daniela Marchiori Flores, da Amamenta, explica como funcionam e dá dicas importantes para as mulheres.

As máquinas mais modernas têm uma tecnologia específica desenvolvida para que se assemelhe ao ritmo de sucção do bebê, mantendo assim o estímulo para resposta hormonal responsável pela produção do leite.

“É recomendado que as mães retirem o leite, respeitando os horários que dariam de mamar para o bebê, pois isso mantém o estímulo à produção do leite materno e evita ingurgitamento (seio empedrado)”, explica a consultora.

As máquinas auxiliam na retirada de forma prática, rápida e indolor, sem causar grandes transtornos para mães que precisam realizar uma pausa no trabalho para a ordenha.

Lembre-se de que é preciso que haja um lugar para o armazenamento do leite extraído, pois por ser biológico (vivo) tem pouca vida útil, principalmente em dias de calor. Por esse motivo é muito importante que o leite esteja refrigerado de forma correta, para que não ocorram desperdícios. Quando ordenhado, o leite que for colocado na geladeira pode ser conservado por no máximo 12 horas. No freezer, é indicado até 15 dias.

Para oferecer este leite ao bebê, é preciso aquecer em “banho-maria”, com o fogo desligado, e o leite tem que estar na temperatura corporal da mãe, em torno de 36 graus, pois é nessa temperatura que o leite sai da mama. O leite que não for consumido deve ser desprezado. “Por este motivo o melhor é armazenar em quantidades menores e sempre em frascos esterilizados para evitar qualquer tipo de contaminação”, informa Daniela.

Além de estar atenta ao horário da extração e armazenamento do leite, a mãe precisa de alguns cuidados com a higiene pessoal na preparação para retirada do leite. É fundamental lavar bem as mãos antes de começar e manter os seios sempre limpos, visto que nossa pele abriga bactérias que podem causar distúrbios gastrointestinais no bebê. Também é importante que os utensílios utilizados na máquina estejam sempre bem limpos.

Com essas dicas, as mães têm mais oportunidades de manter o aleitamento materno exclusivo até os 6 meses e também de continuar ofertando leite materno para seu bebê após, pois apesar de no sexto mês o bebê precisar de outros alimentos, o leite materno continua sendo uma importante fonte energética e proteica, além de vitamina A e ferro, e complementa a alimentação.

Leia também aqui no site:
# Amamentação em livre demanda ou seguir a rotina?
# Café da manhã: nutrição e desenvolvimento intelectual

Nasce Criança
Nasce Criança
Nosso propósito é promover o planejamento saudável do desenvolvimento da criança, envolvendo todos os aspectos de saúde, com atendimento pediátrico, nutricional, odontológico e todas as especialidades necessárias nos primeiros anos de vida do bebê.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *